4 erros que as marcas cometem no YouTube

Dentre as marcas brasileiras não é fácil achar muitas com desempenho exemplar no YouTube. Mesmo algumas marcas que fazem excelente trabalho no Facebook não conseguem o mesmo em seus canais de marca (brand channel) no YouTube. Muitas vezes falta audiência orgânica e falta engajamento com o público. Mas as marcas, sejam grandes ou pequenas, poderiam mudar este cenário se evitassem 4 erros muito comuns.

Erro 1: Presença. O primeiro erro comum é não dar importância ao YouTube. No mundo todo o consumo de vídeo aumenta absurdamente. No Brasil, onde a leitura não é um hábito comum, esse consumo é ainda maior. O YouTube é provavelmente a primeira mídia social que as crianças de hoje têm contato. Antes de saber ler e escrever, elas já conhecem o YouTube. O vídeo comunica muito bem com pessoas de todas as idades e classes sociais. Mesmo assim ainda se vê muita marca que não está presente no YouTube.

Erro 2: Frequência. O segundo erro está ligado à frequência. Muitas vezes uma empresa faz apenas produções pontuais. Isto porque ela contrata uma websérie ou um pacote de vídeos com uma produtora ou agência, mas acha que é um investimento alto. Depois, mesmo satisfeita com o resultado, só vai fazer outro um ano depois. Vamos comparar: você fica um mês sem postar no Facebook? Então não pode ficar seis meses sem postar no YouTube, pois parece que o canal foi abandonado.

Perceba que eu não defendo que você tenha que estabelecer uma programação, como lançar um vídeo novo toda terça-feira às 10h. YouTube é vídeo sob demanda, não é TV convencional. E está aí a Netflix para quebrar paradigmas. Mas também não pode ficar um ano sem um vídeo novo.

Erro 3: Qualidade técnica. O terceiro erro é com relação à qualidade técnica. Você não tem que fazer vídeo em 4K, mas tem alguns cuidados com o som e a imagem que todo mundo tem que ter, porque o que se apresenta ali é a imagem da marca. Se o vídeo parece amador, a marca também parece amadora. Vou comparar com o Facebook novamente: imagine que você vai fazer um post sobre um congresso, mas não teve fotógrafo cobrindo o evento. A única foto que você recebeu está desfocada. Você usa assim mesmo? Se não usa, pense nisso antes de postar um vídeo com baixa qualidade técnica no YouTube.

Erro 4: Conteúdo relevante. O último erro é o mais comum no YouTube: produzir conteúdo inútil para o cliente. Muitos canais de marca estão cheios de vídeo de reportagens, com conteúdo perecível. Outras marcas enchem de conteúdo publicitário, com foco no produto e não no cliente. Vamos pensar como funciona a audiência orgânica a longo prazo? A maior parte vem das pesquisas no YouTube ou de vídeos recomendados, aqueles que o YouTube te apresenta depois que você assiste um vídeo. Então, você precisa pensar naquilo que seu público está pesquisando e nos temas de interesse dele.

Dê preferência por conteúdo perene. Tenho experiência de vídeos com mais de 4 anos que dão mais audiência hoje do que em seu lançamento. E invista em conteúdo educativo, com foco no problema do seu cliente e não na promoção da sua marca ou de seu produto.

Espero que estas 4 dicas sejam úteis e te ajudem a alavancar o canal da sua marca no YouTube. São dicas que não custam muito e que podem te ajudar a conquistar audiência e visibilidade. Se quiser saber mais sobre modelos de produção de vídeo, veja este post em que dou algumas ideias sobre o assunto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s