5 lições que as marcas podem aprender com os Youtubers

As mídias sociais de uma marca e o canal de um youtuber são coisas bem diferentes. Os objetivos não são os mesmos, então as estratégias também não poderiam ser iguais. Eu detalho mais estas diferenças no artigo Diferenças entre youtuber e canal de marca (brand channel). Apesar das diferenças, as marcas podem aprender muito com os youtubers. Conheça 5 boas práticas que podem inspirar sua marca:

1. Falar a mesma língua do seu público: pode parecer muito simples, mas muitas marcas não conseguem dialogar com seu público. Muito formalismo com público jovem ou linguagem moderninha com público conservador podem não funcionar. Então a marca resolve fazer uma piadinha, ela não cai bem e vira case negativo. Sem conseguir sucesso usando seus canais, contrata um youtuber para falar da sua marca. Já viu isso em algum lugar?

Não sou contra o uso de influenciadores digitais. Acho até que, se bem feito, pode trazer bons resultados. Mas é preciso fazer o dever de casa: estudar seus públicos, seus comportamentos e criar as buyers personas da marca.

Então quer dizer que os youtubers criam buyers personas? Não. Mas o produto que o youtuber vende é ele próprio. E quase sempre o youtuber cria um personagem muito parecido com ele mesmo, ou seja, a forma de se expressar não é algo que ele tenha que desenvolver. Já os canais digitais de uma marca podem ser geridos por uma ou mais pessoas com formações e referências distintas.

É bem verdade que alguns youtubers se permitem falar palavrões e usar gírias que muitas marcas não fariam. Mas lembre-se: sua marca não quer fazer tudo o que faz um youtuber. Os objetivos são diferentes.

2. Falar o que seu público quer ouvir: conteúdo e forma são igualmente importantes. Não adianta falar a língua do seu público se o conteúdo não é interessante. Já imaginou a Kéfera falando de futebol? Ou o KondZilla dando dicas de maquiagem? Tudo bem, as marcas não erram tão feio assim, mas sabe o que elas fazem? Ficam falando de si mesma e de seus produtos.

Então imagine o Whindersson Nunes em seus vídeos falando de como ele é legal, de como seu show é divertido e que você deveria comprar logo seu ingresso para ir vê-lo. Ele até pode fazer esta propaganda eventualmente no início ou no fim de um vídeo, mas não é por causa disso que as pessoas assistem seus vídeos.

Os youtubers ajudam as pessoas com alguma coisa. Mesmo que seja ajudar a passar o tempo ou ajudar a se divertir. De que forma sua marca pode ajudar seu público?

3. Produzir conteúdo com baixo orçamento: fazer vídeo online ainda é o calcanhar de aquiles de muita empresa e o grande obstáculo quase sempre é o alto custo de produção. A cada ano que passa a qualidade técnica das pequenas produções se aproxima da qualidade das grandes produções. O que vai fazer com que seu conteúdo audiovisual seja uma grande, e cara, produção serão os recursos técnicos e humanos que você irá dispor. Mas é possível fazer produtos muito bons com equipe e equipamentos enxutos.

Não estou dizendo que você que produz conteúdo para uma marca, tem que pegar seu próprio celular e usar a câmera frontal para fazer um vídeo para os canais da marca. Muitas agências e produtoras já se adaptaram e estão prontas para oferecer vídeo com baixos orçamentos.

Uma dica que sempre dou é que fazer um único vídeo será muito mais caro que produzir dez (considerando o custo unitário). Então, fazer um planejamento e contratar um pacote de conteúdo pode ser bem vantajoso. No artigo 4 formas de produzir vídeo online para empresas eu falo sobre modelos de produção e as vantagens e desvantagens de cada um. Já em 5 dicas para escolher sua produtora de vídeo eu dou dicas para selecionar a melhor produtora para seu projeto.

4. Manter a frequência na produção de conteúdo: não é incomum ver uma marca ficar meses sem postar no Facebook ou no YouTube. Normalmente isto é fruto da falta de planejamento. A sensação é de que aquela página foi abandonada ou que talvez a empresa nem exista mais.

O motivo que leva os youtubers a postarem com alguma frequência é financeiro. Para o youtuber gerar receita ele precisa que sua audiência clique ou assista anúncios em seus vídeos, ou seja, quanto mais vídeos ele produzir, maior a chance de gerar receita.

Uma marca pode produzir conteúdo com outros objetivos, por exemplo: gerar leads, gerar tráfego para o site ou aumentar o uso de um app. Apesar das razões não serem as mesmas de um youtuber, a marca precisa estar sempre presente para seu público. É assim que ela será lembrada e é assim que se relaciona, sem esquecer dos seus objetivos com cada conteúdo.

5. Ouvir o cliente e ajustar a produção de conteúdo: uma etapa importante no marketing de conteúdo é o monitoramento e a análise de dados. É fundamental entender que tipo de conteúdo está funcionando, qual está convertendo mais e qual não teve sucesso. Mas os youtubers fazem isso? Sim! Eles analisam a quantidade de visualizações, de interações e o tempo de permanência em cada vídeo.

E fazem mais: eles dão valor aos comentários! Já reparou que tem youtuber que produz mais de um vídeo por semana? De onde será que sai tanta ideia para vídeo? Muitas saem dos comentários! Se tem um assunto que as pessoas estão perguntando é porque estão interessadas nele. Então não negligencie sua audiência e os dados que você tem ao seu dispor, pois eles irão tornar seu conteúdo ainda melhor!


Você pode gostar também de: Diferenças entre Youtuber e Canal de Marca (Brand Channel)

2 comentários sobre “5 lições que as marcas podem aprender com os Youtubers

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s